All posts by Márcio Mariguela

Isolamento e Prevenção

A potência do real pandêmico invadiu o cotidiano de tal maneira que nos convoca a representar o cenário caótico em que estamos inseridos. A reação mais primária diante do perigo de morte iminente é a negação: ‘não está acontecendo nada, é só uma gripezinha que ataca idosos’. Ressurge o mais danoso discurso para educação sanitária: grupo de risco. Não há grupo de risco, todos estão em risco e a prevenção é para todos.

No final da década de 1980, quando surgiu o diagnóstico da Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (AIDS) isolando o agente viral patogênico (HIV), o conceito de grupo de risco serviu de forma danosa para disseminar o vírus entre os que não se identificavam com o grupo de riscos: homossexuais, hemofílicos, profissionais do sexo e usuários de drogas injetáveis. Como a história demonstrou, o vírus não obedeceu às cercas morais e o número de mulheres casadas infectadas transbordou as estatísticas para nos ensinar que o vírus contamina quem pratica sexo sem proteção.

Agora, com a expansão da pandemia do coronavirus chegando no Brasil, novamente se reabilita a categoria grupo de risco para transmitir à população que não há motivo para se preocupar com a contaminação se você não se identifica no grupo nomeado de risco. É um desserviço à preservação da saúde; é um discurso criminoso restringir o perigo àqueles que estão na faixa etária acima dos 60 anos. O vírus não obedece a barreiras etárias.

Negar a existência do real pandêmico com discursos ideológicos potencializa os efeitos nocivos da contaminação. Os responsáveis pela saúde pública que insistem no negacionismo cometem um crime de lesa pátria pois incentivam a população a seguir com seus afazeres cotidianos, com suas atuações sem freio, fingindo não ver a presença insidiosa da morte que nos espreita no espaço de convivência social.

A situação de outros países que acumulam cadáveres sem recurso técnico e científico para conter a devastação do Covid-19 deveria servir de alerta para nos preparar no enfrentamento da pandemia. Fico a me perguntar, diariamente, por que raios os brasileiros acreditam, dão crédito, a esse discurso criminoso disseminado pelo governo federal que vocifera que não é tudo isso que a mídia confiável e os cientistas renomados estão a nos advertir: a única, repito, a única forma de proteção é a reclusão ao ambiente do lar; isso claro, para os que tem um teto para se abrigar.

Reclusão deliberada é uma escolha protetiva para os que amam a vida e a valorizam como bem supremo: nada vale mais que a vida. Ela é o valor dos valores e preservá-la é um compromisso ético consigo mesmo, com os que você ama e com a coletividade. Se o valor da vida está em jogo neste tenebroso tempo de pandemia, cabe a cada um dar provas de proteção, preservação deste bem maior.

Não é hora de contabilizar os prejuízos materiais, as perdas, as renúncias e frustrações. A hora é de proteger a si e aos que você ama, esperar com grande dose de paciência, o tempo pandêmico passar. Sim, ele vai passar e, só depois, reconstruiremos o cotidiano: por certo, numa outra escala de valores.

Marcio Mariguela

Décalcomanie (1966) René Magritte

Curso de História da Filosofia – Modulo 3 – Nietzsche, leitor de Schopenhauer

Curso de História da Filosofia

Modulo 3 – Nietzsche, leitor de Schopenhauer

1º semestre /2020

Cronograma:

05 e 19/fevereiro; 04 e 18/março;

01, 15 e 29/abril; 13 e 27/maio; 10 e 24/junho

4ª feira – 19h as 21h – quinzenal

Local: Edifício Primus Center

Av. Independência, 350 – sala 43 – Piracicaba – SP

Vagas limitadas: 20

Pagamento: R$ 70,00 a cada encontro

* Módulo 1 e 2 não é pré-requisito para Módulo 3

A inscrição será efetuada com o pagamento antecipado da 1º aula

informações: mmariguela@gmail.com

“Nietzsche foi, sobretudo, um grande crítico da cultura de seu tempo, um prosador e ensaísta europeu do mais alto gabarito, saído da escola de Schopenhauer … de quem herdou a proposição: a vida, intuída puramente apenas como representação ou reproduzida pela arte, é um espetáculo significativo de grande valor, o valor dos valores. A vida só pode ser justificada como fenômeno estético. A vida é arte e aparência: uma sabedoria trágico-irônica que põe limites à ciência, ao niilismo e ao otimismo dos racionalistas reformadores do mundo e do humano. Nomeou essa sabedoria trágica que abençoa a vida em toda a sua falsidade, dureza e crueldade com o nome de Dionísio”.  Thomas Mann

Continue reading

Masoquismo e Sadismo: pulsão polimorfa e perversa

GRUPO DE ESTUDOS EM FREUD 1º semestre 2020

Masoquismo e Sadismo: pulsão polimorfa e perversa

Cronograma:

12 e 26/fevereiro; 11 e 25/março; 08 e 22/abril;

06 e 20/maio; 03 e 17/junho

4ª feira das 19h às 21h

Pagamento: R$ 70,00 a cada encontro

Local: Edifício Primus Center

Av. Independência, 350 – sala 43 – Piracicaba/SP

Vagas limitadas: 20

A inscrição será efetuada com o pagamento antecipado do 1º encontro

Mais informações: mmariguela@gmail.com

Continue reading

Encontro com a História da Sexualidade: Homenagem a Michel Foucault

30/novembro/2019

9h às 17h

local: auditório 2 – Antonio’s Palace Hotel

Av. Independência 2805, Piracicaba/SP

vagas limitadas: 100

inscrição antecipada até 20 de novembro

email: historiasexualidade@gmail.com

R$ 50,00 para profissionais (pagamento no dia do evento)

gratuito para estudantes (apresentar comprovação)

Mesa 1 – 9h às 12h

volume 1 – A vontade de saber

Anderson Santos

psicólogo e psicanalista, cursando Especialização em Saúde Mental, Imigração e Interculturalidade (Unifesp); membro do Coletivo Psicanálise na Praça Roosevelt/São Paulo.

volume 2 – O uso dos prazeres

Marta Togni Ferreira

médica psiquiatra, psicanalista, associada da Tykhe – Associação de Psicanálise de Campinas

Mesa 2 – 14h às 17h

volume 3 – O cuidado de si

Nilton César Arthur

mestre e doutor em Filosofia pela PUC/SP, membro do Grupo de Pesquisa Michel Foucault (PUC/SP), docente na área de filosofia na UNIMEP/Piracicaba.

volume 4 – As confissões da carne

Márcio Mariguela

psicanalista com formação em Filosofia, mestre e doutor em educação pela UNICAMP.

Continue reading

O Sesc São Paulo realizará o ciclo Educar Hoje, uma ação do Programa Curumim que propõe a reflexão para uma educação centrada no ser e em sua multidimensionalidade.

Ciclo Educar Hoje 2019

Local: Sesc Piracicaba – Rua Ipiranga, 155
Data: 19/setembro as 19h no Teatro
OBS: Retirada de ingressos 1h antes

 

O Sesc São Paulo realizará o ciclo Educar Hoje, uma ação do Programa Curumim que propõe a reflexão para uma educação centrada no ser e em sua multidimensionalidade.

Neste ano, traz como tema – a Importância da Escuta e sugere a ideia de que ao garantir o espaço de Fala se requer, necessariamente, mirar também para a outra ponta – a Escuta. A escuta direciona nosso olhar, promove e viabiliza bons encontros com o outro por meio do diálogo. O escutar pressupõe vontade, determinação, um direcionamento intencional e ativo. Ato que permite que estejamos no mundo não solitariamente, mas acompanhados.

O Ciclo Educar teve seu início durante as comemorações dos 30 anos do Curumim, em 2017, e será realizado no período de 21 de agosto a 23 de outubro de 2019 em 31 unidades do Sesc São Paulo.

Moacir Gadotti

Filósofo e pedagogo, doutor em Ciências da Educação pela Universidade de Genebra, Doutor Honoris Causa pela UFRJ, foi professor de História e Filosofia da Educação na UNICAMP e

nas Universidades Católicas de São Paulo e de Campinas. Atualmente é professor aposentado

pela Universidade de São Paulo e Presidente de Honra do Instituto Paulo Freire.

Severino Antônio

Doutor em Educação pela UNICAMP. Professor no Ensino Superior. Conselheiro do Instituto ALANA, no projeto “Prioridade Absoluta: a criança em primeiro lugar”. Conselheiro do Instituto Rubem Alves. Participou da Brazil Conference at Harvard & MIT(EUA), como orador principal na mesa dedicada ao tema “O Futuro da Educação no Brasil”.

Márcio Mariguela – 19/9, quinta, 19h. Teatro.

Com Licenciatura Plena em Filosofia pela PUC Campinas, possui mestrado e doutorado em Educação, além de

Especialização em Filosofia, todos pela Unicamp. É psicanalista formado pela Escola de Psicanálise de  Campinas. Tem experiência na área de Filosofia, com ênfase em Filosofia Contemporânea (Nietzsche e Foucault) e na área de Psicanálise.

Mediação: Samuel Gachet

Psicólogo, mestre em educação pela Unimep. Trabalhou no sistema penitenciário e com adolescentes autores

de ato infracional privados de liberdade. Atualmente trabalha com grupos de adolescentes em um CRAS, como professor do curso de psicologia nas Faculdades Integradas Einstein de Limeira e como educador em atividades infantojuvenis no programa Curumim do Sesc de Piracicaba.

Mais Informações Aqui

fonte imagem: SESC